vela

Centenas de velejadores a bordo do Soneca rumo à África

Publicado por Elson - Mucuripe em 29/01/2018 às 09h51

Não sabemos exatamente, mas são centenas de velejadores seguindo a bordo do Soneca nessa longa e divertida travessia de Ubatuba à África do Sul, e esse número de tripulantes vem só crescendo!

Hoje em dia com o rastreamento a bordo das embarcações podemos acompanhar qualquer travessia oceânica praticamente em tempo real, e assim vários navegadores, tripulantes, admiradores, amigos e familiares conseguem embarcar nessa bela travessia que o Soneca está fazendo para Cape Town. Somos centenas de tripulantes virtuais vivendo a emoção dessa viagem, torcendo pelos queridos amigos Tio Spinelli, Juca e Alan a bordo do valente Soneca, um barco muito querido a admirado por todos.

Hoje, 29/01/18, já estão mais próximos da África do que do Brasil, mas ainda tem muita água pela frente! E a cada dia seguem driblando um Mar desconhecido do Soneca, com ventos vindo de todos os quadrantes. Mas isso não importa, o que importa mesmo é navegar, conhecer novos mares, descobrir novas rotas, e sempre respeitar e seguir as vontades da natureza marinha, onde os Deuses dos ventos e das águas ditam as regras para nós, pequenos mortais.

A posição do Soneca hoje por volta das 06h da manhã era 35°S 011°W. No dia 28/01 passaram ao norte de Tristão da Cunha, mas seguiram direto para Cape Town pra ganhar tempo, pois há uns dias atrás a viagem ficou um pouco fora do previsto. O Juca e o Alan desembarcarão em Cape Town e voltarão ao Brasil de avião, pois já têm compromissos marcados. Tio Spinelli receberá novos tripulantes para a volta ao Brasil, prevista para meados de fevereiro. A viagem de volta seguirá partindo de Cape Town, subindo a costa oeste da África junto com a corrente de Benguela até as proximidades da Namíbia (ah como eu gostaria de estar lá para conhecer a tão sonhada Namíbia), e em seguida seguir rumo oeste mais ou menos na latitude de 15° Sul até alcançar a corrente do Brasil seguindo a costa do Brasil num rumo SW.

Então, vamos lá, Soneca! A África já está logo ali...rs

Acompanhe o diário da travessia no blog do Juca, e embarque nessa bela aventura: http://desafioafrica18.blogspot.com.br/

 

 

Categoria: vela
Comentários (7) e Compartilhar

De Ubatuba à África no Veleiro Soneca

Publicado por Capitão Mucuripe em 06/12/2017 às 09h59

Tio Spinelli, como é carinhosamente conhecido por todos, e seu fiel companheiro Soneca, um Samoa 33 com milhas e milhas navegadas. E na tripulação, mais dois grandes velejadores, Juca Andrade  e Alan Trimboli. Pronto, esse é o quarteto que irá zarpar de Ubatuba rumo à África do Sul, numa travessia que deverá durar pouco mais de um mês no trajeto de ida, passando perto da isolada ilha no meio do Atlântico Sul, Tristão da Cunha.

Recentemente marcamos um dia para conversarmos sobre Navegação Astronômica e sobre essa nova aventura pelo Atlântico Sul. Foi um dia pra lá de especial, com uma conversa muito boa a bordo do Soneca.

Abaixo segue uma pequena entrevista com o Tio Spinelli.

Em breve iremos publicar o link do spot para quem quiser acompanhar essa fantástica travessia!

A data provável de partida deve ocorrer entre os dias 29 a 31/12/17.

 

Como começou sua vida na vela de cruzeiro?

Há 40 anos atrás, como opção para mergulhar e devido ao cheiro do diesel me dar muito enjoo. Mas comecei com barcos pequenos tipo Holder 12 e Magnum 422.


Há quanto tempo dá aulas de vela e navegação em Ubatuba? (Vem gente do mundo inteiro fazer curso de vela e navegação com o Tio Spinelli)

Há 6 anos. Antes as aulas eram de mergulho, com alguma aula de vela no meio.


Qual a história do Soneca? Conte-nos um pouco do projeto do barco.

Depois de ter tido um BRM 18, um veleiro cabinado com duas quilhas retráteis, surgiu o sonho de ter um barco maior, mais adequado a grandes travessias. A escolha foi mais fácil pois já tinha alguma idéia, e com conversas com o Cabinho, ficamos sabendo de um projeto que ele iria lançar no final de 1994 que seria bem o que eu tinha em mente.

Com o pré-projeto do Samoa 33 na mão, o sonho começou a virar realidade


O que motivou fazer essa travessia de Ubatuba à África do Sul?

Em 2015, fizemos uma velejada para a Argentina, com a participação de 6 alunos em diversas etapas. O virus das grandes travessias tinha acabado de ser inoculado nas nossas veias.

Com um ano de 2016 voltado para aulas, tivemos pouco tempo para viagens, apenas alguns cursos avançados (+/- 300 Nm ). Mas, o Virus já estava se manifestando novamente e sempre me interessei pelas viagens para o Sul, sendo Cape Town quase que uma escolha natural para

uma velejada mais “séria”.


Foi necessária alguma reforma estrutural no barco para esta travessia?

Não. O Soneca é muito robusto e testado. Apenas a adição de um Gurupês para um melhor aproveitamento da genakker.


Como foi o planejamento de suprimentos de água e comida e medicamentos?

Temos 600 litros de água, que , bem usada é mais que suficiente. Comida, estamos fazendo conservas que não precisam de geladeira,

Assim, precisamos cozinhar apenas arroz, macarrão ou purê de batatas. Vamos sair com 60 dias de comida pronta.

Quanto aos medicamentos, tinha uma dessas famosas listas de farmácias de bordo que era extensa, antiquada e redundante.

Com uma ajuda do Alan, médico, capitão amador e um dos tripulantes, essa lista foi aprimorada e tivemos o patrocínio de uma rede de farmácias que montou uma lista bem eficiente e completa.


Vocês fizeram algum checkup quanto à saúde física de cada um?

Começando com uma vacina contra febre amarela, passei por um check-up completo, e acho que os outros tripulantes estão fazendo o mesmo.

JUCA E ALAN

JUCA ANDRADEALAN TRIMBOLI
A viagem está sendo patrocinada por alguma empresa?

Temos alguns apoiadores, a rede de farmácias e talvez uma fábrica de cabos que vai trocar todas adriças e escotas do Soneca.


Qual distância a ser navegada? Nos fale um pouco das rotas de ida e volta e época escolhida para zarparem.

São 3400 NM, com uma rota que começa em Ubatuba e desce direto pelo rumo 155º até o centro do Atlântico Sul, passando perto de Tristão da Cunha

Para então começar a subir até o sul da África.

A Época foi escolhida consultando-se as cartas de piloto, livro do Jimmy Cornell e o programa VPP2, que dá a ida entre novembro a março como a mais favorável e a volta, feita subindo-se até Luderitz na Namíbia e de lá para o Brasil, passando pela Ilha de Sta Helena, a qualquer época.


Quais são os instrumentos de navegação e comunicação a bordo do Soneca para esta travessia?

O Soneca tem muito poucos instrumentos eletrônicos, a saber : um gps plotter de mão, um gps com mostrador simples tipo Lat. e Long. um AIS passivo,

um VHF portátil e um fixo, um SSB com Pactor para receber faxweather, um telefone via satélite, um notebook com gps, um sextante e muuuita carta náutica papel.

Em que circunstâncias será utilizado o telefone satelital? Como é a limitação de uso devido ao custo?

Iremos utilizar o telefone satelital para recebermos as previsões meteorológicas, e teremos direito a um pacote de 09 ligações de 30 segundos por semana.

Temos dois sistemas para solicitação e recebimento de previsões do tempo: um usando o satfone como modem e recebendo no notebook, ou usando o SSB com um pactor que transforma RF em linguagem de notebook. Utilizaremos como fontes de informações as cartas sinóticas da MB, site do Windy e o plugin do OpenCPN.

E quanto à balsa, kit pirotécnico, drogue, velas e leme de reserva?

Balsa revisada, pirotécnicos novos, sem drogue nem leme reserva, pois o leme original é bem dimensionado.

Enxoval: Mestra, genoa 135% e genaker novas; trinqueta, tormentin e trysail.

Mestra e genoa de reserva.

Quais são as cartas náuticas necessárias para a viagem?

Locais Ubatuba, Tristão da Cunha e Cape Town. Na volta colsta leste da Namibia, local Luderitz e local Sta Helena, alem das Atlântico Sum Leste e Oeste.


E quanto à Navegação Astronômica, quais as opções de astros pretende utilizar?

Basicamente o Sol, mas se tiver tempo para rever, Lua e estrelas.


Qual o modelo de sextante tem a bordo?

Davis Mark 25

Qual a sua opinião sobre a importância da Navegação Astronômica nos dias de hoje?

Fundamental. Recentemente tivemos o caso de 02 GPS na entrada para o Joinville Iate Club, que marcavam nossa posição com 200m de atraso, indicando uma bóia no través e já tínhamos passado por ela há muito tempo! O outro se recusou a funcionar. Veja que até os próprios manuais dizem que o GPS é um equipamento auxiliar à navegação, e que eles não se responsabilizam por qualquer acidente que possa ocorrer por seu uso!

Bons Ventos ao Soneca e sua nobre tripulação!!!!

Agradecimento especial aos apoiadores:

Cusco Baldoso Escola de Vela Oceânica

Pharmacia Essencial

ABVC

Almanáutica

Sail Brasil

Phillipe Gouffon, Cláudio Renaud, Alexandre Dangas, César Pastor e apoiadores do Apoia.se.

Categoria: Notícias náuticas, vela
Comentários (10) e Compartilhar

O prazer de ensinar a Arte de Velejar

Publicado por Elson - Mucuripe em 13/12/2016 às 09h24

Iniciei na vela sem saber que seria um apaixonado por essa Arte. Isso foi em 2008, quando embarquei pela primeira vez em um veleiro, e por coincidência o comprei anos mais tarde depois de ter um dingue e em seguida um cabinado de 18 pés, e hoje, o Mucuripe, um oday de 23 pés. E, em 2012 comecei a dar algumas aulas, uma atividade que sempre gostei desde o tempo em que lecionava violão, e porque me ajudaria a pagar as despesas com o barco. Com o tempo, criei uma página no facebook para divulgar, além do site, e essa atividade se tornou parte do meu dia a dia. A grande maioria dos alunos jamais havia subido a bordo de um veleiro, e todos ficam fascinados quando começam a sentir o barco deslizando na água pela força do vento. Esse encantamento arrebata a todos, e como dizem, é um vício que se inicia e não tem mais como largar.

Muitos casais encontram na vela um novo sentido para a vida a dois, e passam a viver em função dessa Arte. Velejar requer paciência e dedicação, e muito respeito às forças da natureza. Nos proporciona momentos de reflexão e meditação, e nos dá força e coragem para lidar com os desafios, e resignação para aceitarmos nossa pequenez. Nos faz enxergar a natureza de outra forma, e percebermos o quanto somos presenteados todos os dias por sua beleza. O aprendizado da Vela é constante, e isso é que nos motiva cada vez mais a continuar a aprendendo e ensinando o pouco que sabe para os novos velejadores.

Neste ano tive a felicidade de poder compartilhar desse sentimento com vários alunos, e tive a honra de poder ajudá-los a descobrirem esse magnífico mundo da Vela. Uma das maiores realizações é quando vejo que o aluno já está seguro e com condições de sair velejando sozinho seu próprio barco, como o Israel da foto abaixo.

Agradeço a todos meus alunos e amigos(as), e desejo muitos Bons Ventos em 2017!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Categoria: vela
Comentários (0) e Compartilhar

Bons Ventos no Lago Paranoá

Publicado em 03/07/2016 às 18h56

Os ventos chegaram nas águas do Lago Paranoá! Mês de Julho é talvez o mês mais propício para Vela em Brasília. Boas rajadas chegam com o vento frio para fazer a alegria dos amantes da vela no Mar de Brasília. Nesse mês teremos a tradicional Regata 24 horas nos dias 23 e 24/07, que promete ser de bons ventos como foi no ano passado.

Mas nem só de regata vive um velejador. Na vela temos os que curtem bastante a emoção das regatas, os determinados regateiros, que não perdem uma regata por nada, que cultivam a tradição das competições. Temos também os velejadores esporádicos, que muito raramente botam o barco na água para fazer um breve passeio. E, temos os velejadores cruzeiristas, que é o meu caso, que curtem uma boa velejada e participam de regatas sem o compromisso com a melhor performance do barco, visto que um veleiro de cruzeiro não tem a mesma configuração que um veleiro de regata. E são esses perfis de velejadores que mantém viva a tradição da vela em Brasília, embelezando ainda mais as águas do Paranoá nessa estação de ventos constantes que geralmente se inicia em junho e vai até outubro. Nos demais meses do ano os ventos são inconstantes, ocorrendo mesmo dias seguidos de total ausência de vento.

Temos o privilégio de ter esse belíssimo Lago que nos dá vida e beleza, deixando ainda mais bonito o Céu de Brasília. Velejar no Lago Paranoá é além de uma prática esportiva, um momento de contemplação. Ouvir o som do vento e das águas que lavam o costado do veleiro que segue seu rumo tranquilo nos traz um sincero sentimento de gratidão. Na tarde desse sábado passado, enquanto dava uma aula de vela, registrei esse momento meditativo nas águas do Paranoá, Mar de Brasília.

Confira a previsão de ventos para os próximos dias na raia sul:

http://www.windguru.cz/pt/index.php?sc=30317

 

Se você deseja aprender a velejar ou fazer um passeio de veleiro em Brasília, aproveite que os bons ventos estão aí. Conheça nossos cursos com aulas individuais e também para casais. Acesse no Menu a seção de Cursos e Charter.

 

Bons Ventos!

 

 

 

Categoria: vela
Comentários (0) e Compartilhar

Velejando em Brasília

Publicado em 02/12/2015 às 07h23

O Lago Paranoá de Brasília é um ótimo local para aprender a velejar, tanto para aqueles que querem participar das regatas como para quem quer curtir uma boa velejada. Nossa proposta é difundir a vela de cruzeiro, ou seja, àqueles que pretendem ter um veleiro oceânico para curtir o barco nos fins de semana, nas regatas festivas, nos encontros com amigos atracando a contrabordo para curtir as águas do Paranoá. E também, aos que desejam se habilitar como Mestre ou Capitão-Amador e se fazerem ao Mar, alugando veleiros no litoral ou para serem tripulantes de veleiros. O nosso curso de vela oceânica é bastante procurado por casais que sonham um dia em ter um veleiro, para terem uma ótima opção de lazer para a família, ou mesmo para adquirirem experiência e um dia soltarem as amarras. A satisfação de ensinar e incentivar a esses casais sonhadores é muito grande, principalmente quando vejo a alegria estampada em seus rostos ao executarem as manobras no veleiro com sucesso. Criamos uma página no facebook justamente para registrar esses momentos em vídeos e fotos.

Se você pretende entrar para o mundo da vela e navegação embarque no Veleiro Mucuripe. Aos que já são Arrais Amador e pretendem prestar exames para Mestre e Capitão, oferecemos cursos de Navegação Costeira e Navegação Astronômica. Visite as seções do Velas do Mucuripe para maiores detalhes.

Acesse nossa página no face CURSO DE VELA EM BRASÍLIA

 

 

 

Categoria: vela
Comentários (0) e Compartilhar

center fwB||||||news login|c05 normalcase uppercase fwR|c05|login news c05 normalcase uppercase|c05 tsN normalcase uppercase|c05|content-inner||